IMENSIS

NOTÍCIAS

Transportadores moçambicanos banidos na África do Sul
2013/04/01

A polícia sul-africana está a confiscar reboques dos transportadores moçambicanos, alegadamente porque as viaturas operadas por estes não estão habilitadas a levar pequenos atrelados.

Imprimir Enviar a amigo

chapas-mocambicanos-proibicao-de-trelas-nos.jpg

A nossa fontev testemunhou situações em que moçambicanos eram forçados a deixar as suas viaturas no território sul-africano.

A operação decorre desde quinta-feira última, isto depois de uma reunião havida em Fevereiro, entre a União dos Transportadores Transfronteiriços de Moçambique e a contra-parte sul-africana, com o objectivo de se encontrar soluções que facilitem o trabalho dos transportadores. Entretanto, a polícia sul-africana surpreendeu com uma autêntica caça aos operadores moçambicanos.

Uma deslocação da nossa equipa à África do Sul foi suficiente para testemunhar situações flagrantes em que a polícia mandava descarregar os passageiros com destino a Moçambique, confiscava os reboques com mercadorias e mandava parquear as viaturas, até novas ordens.

Há relatos de gente que levou três dias de Joanesburgo a Nelspruit, devido às várias interpelações da polícia sul-africana. `Estamos aqui há mais de quatro horas e tivemos paragens em vários postos policiais, devido ao atrelado que transporta as nossas mercadorias. Saímos de Joanesburgo com destino a Maputo ontem (quinta-feira última) e não se explica que até agora estejamos em território sul-africano. A polícia alega que temos de deixar os nossos pertences aqui, até que o caso fique resolvido´, disse uma entrevistada.

Curiosamente, a nossa fonte presenciou situações em que transportadores sul-africanos, da mesma categoria, circulavam levando reboques, o que demonstra haver uma espécie de discriminação em relação transportadores moçambicanos na actuação das autoridades sul-africanas.

Tentativas de falar com a polícia sul-africana resultaram em fracasso, aliás, foram motivo para a nossa fonte ser ameaçada.

Já os membros da União das Associações de Transportadores Transfronteiriços de Moçambique (UNATRAMO) mostraram-se desapontados com a atitude da polícia sul-africana. Os mesmos pediram a intervenção do Governo, para ajudar a desbloquear a situação, uma vez que já houve encontros com as associações de transportadores sul-africanos no sentido de se chegar a entendimento, mas não surtiram efeito.

`Penso que esta atitude da polícia sul-africana vai comprometer o nosso negócio. Como é que se explica que carros de fabrico japonês não tenham habilitação para rebocar `trailers´, numa altura em que qualquer um, até em carro pessoal, pode levar reboque? Estranho é que não se sente qualquer intervenção da parte do governo moçambicano para resolver este problema. Sentimo-nos abandonados´, manifestou-se um transportador.

Entretanto, transportadores sul-africanos circulam em Moçambique com o mesmo tipo de viaturas, sem qualquer proibição da parte da nossa polícia.

Refira-se que a crise entre transportadores dos dois países não é de hoje. Recentemente, algumas associações moçambicanas queixaram-se de uma delas estar a impedir as outras de levar passageiros para aquele país vizinho, uma situação que se arrastou até ao lado sul-africano, o que levou a que os transportadores moçambicanos criassem um terminal diferente do usado pelos sul-africanos.

No âmbito dos acordos bilaterais no quadro da implementação do protocolo da SADC, lembre-se, Moçambique e África do Sul assinaram um acordo que rege a actividade de transporte entre os dois países. Esse acordo exige, entre outros aspectos, a constituição de parcerias entre associações de transportadores locais, para permitir que em ambos os países sejam apadrinhados, e, por via disso, consigam carregar nas praças internacionais...

© 2003+ Sislog Sistemas e Tecnologias de Informação e Comunicação Lda

Optimizado para IE4 ou superior, 800x600